mapa mental o que é

O que é o mapa mental e como ele pode me ajudar?

Você já se perguntou o que é o mapa mental? Pois saiba que outros universitários também, viu? Afinal, na hora de estudar, revisar e, em especial, se preparar para provas, é comum os estudantes colocarem em prática as mais diversas estratégias.

Todas elas com o objetivo de compreender melhor o conteúdo, fixar na mente os tópicos mais técnicos e científicos, além de testar o que já aprenderam até aquele momento. Pensando nisso, preparamos um post que explica o que é o mapa mental, como construí-lo e os benefícios que ele oferece. Continue lendo e saiba mais!

O que é o mapa mental?

O mapa mental é uma técnica de estudo e memorização que trabalha o uso de informações interligadas a partir de um conteúdo central. Geralmente, ele apresenta dois formatos que você pode usar: um na vertical e outro na horizontal.

O primeiro é para quem é mais apegado a uma organização visual e sequencial do texto. Isso porque ele traz o conteúdo no topo de uma folha e vários tópicos e subtópicos abaixo que estão conectados a ele em ordem cronológica ou de relevância. Todos, vale ressaltar, sempre enxutos e com dados práticos sobre o tema.

Já o segundo, por outro lado, traz o conteúdo no centro da folha de onde saem múltiplas setas para os tópicos e subtópicos que, mais uma vez, contam com informações sucintas. No entanto, a disposição deles aqui é livre, sem nenhum tipo de regra ou hierarquia.

É por essa razão que quem aprende melhor de forma dinâmica prefere esse modelo, que também exige uso constante da criatividade e do pensamento abstrato .

Para que ele serve?

Como já está claro, o mapa mental é um método de aprendizado de conteúdos não matemáticos. É uma forma mais prática e simplificada de se aprofundar em conceitos, teorias, fatos históricos, questões técnico-científicas e afins.

Afinal, você não fica dependente de sempre fazer extensos resumos de cada disciplina. Resumos esses que demandam tempo para serem construídos e, para completar, mais algumas boas horas de revisão para fixação.

Com o mapa mental, você passa a focar nos pontos-chave das matérias — identificados nas aulas, nas leituras e nas pesquisas complementares. Resumindo: é uma maneira para lá de eficiente de otimizar sua rotina de estudos.

Quais são as vantagens dessa técnica?

Neste tópico, vamos mostrar um pouco mais das vantagens que o mapa mental traz para a rotina de um estudante. Acompanhe com atenção para saber como elas podem potencializar seu desempenho acadêmico!

Ajuda na memorização

Por utilizar tópicos no lugar de textos corridos, o mapa mental estimula o processo de memorização das informações. Isso porque a ideia é que, ao escrevê-los, você sintetize com as próprias palavras o que cada um quer dizer e o nível de relevância que eles têm para seu aprendizado.

Ou seja, você trabalha não só a objetividade, como também a reflexão e a análise das matérias, o que aumenta a fixação dos diversos assuntos.

Aprendizagem envolvente

Quem tem dificuldade em estudar sozinho encontra no mapa mental um excelente recurso para tornar a aprendizagem mais interessante. Isso porque ele está longe de ser engessado e cheio de regras.

Aqui a construção do material é totalmente personalizável e permite usar e abusar da criatividade para melhor assimilar a matéria.

Facilita a compreensão

Imagine ter que estudar vários capítulos extensos de uma matéria. Com tanto conteúdo a ser visto, muita gente pode fica insegura de confiar apenas na leitura de dezenas de páginas e realmente compreender tudo que está escrito ali.

Nessas horas, o mapa mental resolve esse problema, pois você deixa de lado a quantidade de informações e se concentra naquelas que têm relevância. Daí em diante fica mais fácil aprender, tirar dúvidas e até mesmo fazer simulados de provas.

Melhora a produtividade

Enquanto outras técnicas demandam mais tempo, disposição e planejamento para que você realmente tenha como se concentrar nos estudos, o mapa mental faz o aprendizado ser mais leve, cômodo e rápido.

Basta lembrar que umas das principais características é justamente a ausência de texto corrido. Portanto, ao fazer uso dele, você tem como evitar a procrastinação que atinge muitos estudantes que adotam os resumos como o único o meio de aprendizado.

Como fazer um mapa mental?

Explicado o que é o mapa mental, vamos falar sobre como fazer um? Para isso, comece separando os conteúdos didáticos que serão estudados (como livros, cadernos e apostilas) e o material que será utilizado na confecção desse mapa. É o caso de:

  • folhas brancas de ofício;
  • grampeador;
  • post-its;
  • canetas esferográficas;
  • canetas hidrográficas;
  • marca-textos.

Ter tudo isso à sua disposição em um canto ou gaveta da escrivaninha é fundamental. Assim, você não precisa interromper o andamento do mapa diversas vezes para ir atrás desses itens. Tenha em mente que, além da perda de tempo, essas pausas forçadas vão atrapalhar a sua imersão nos estudos.

Resolvida essa questão, comece a ler e a separar as matérias em tópicos centrais e subtópicos de assuntos relevantes e com potencial de serem cobrados nas avaliações.

A partir daí, você começa a destrinchá-los nas folhas, acrescentando pequenos resumos, notas e informações extras que valem a pena serem revisados. Veja o exemplo abaixo de como fica essa divisão:

Matéria:

Tópico central:

  • o funcionamento do sistema cardiorrespiratório durante a prática de exercícios e os cuidados a serem tomados para evitar impactos no bem-estar das pessoas.

Subtópicos:

  • anatomia e fisiologia do sistema cardiorrespiratório;
  • aspectos anormais no funcionamento desse sistema;
  • principais problemas de saúde correlacionados com os processos cardiovasculares e respiratórios;
  • atividades físicas leves, moderadas e intensas e os impactos delas no organismo;
  • adaptação de exercícios para pessoas com enfermidades pontuais e crônicas, sujeitos com idade avançada ou indivíduos que estão lesionados ou passaram por procedimento cirúrgico recente;
  • prática de exercícios mediante problemas cardiovasculares e respiratórios;
  • primeiros socorros diante de situações de urgência e emergência cardiorrespiratórias.

E então, ficou claro o que é o mapa mental e como você pode adotá-lo como estratégia para ter um aprendizado mais rápido, dinâmico e produtivo? Portanto, comece a testá-lo para se habituar com esse modelo de estudo e, conforme as necessidades forem aparecendo, personalizar a produção dele.

Agora, confira algumas dicas extras de como melhorar o rendimento nos estudos a distância!

Como melhorar o rendimento de estudos no EAD

Aproveite e assine a nossa newsletter! Sempre trazemos dicas que vão ajudar a organizar e a melhorar sua rotina de estudante universitário.

Criando uma rotina de estudos de sucesso

Compartilhe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Receba conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail!

Diga o que está em sua mente

Seu endereço de e-mail não será publicado.