como montar um portfolio

8 dicas de como montar um portfólio impecável

Você sabe como montar um portfólio que realmente chame a atenção de quem busca ter contato com o perfil de um determinado profissional? Estamos falando de uma ferramenta extremamente útil para as pessoas que estão procurando um novo emprego ou que atuam de forma autônoma, como os freelancers.

Na verdade, o documento se assemelha bastante a um currículo. No entanto, nesse caso, não são englobadas somente informações pessoais e profissionais — como a formação acadêmica e a experiência —, mas também alguns detalhes que explicam como o trabalho de alguém é desenvolvido na prática.

E então? Quer saber mais a fundo o que é portfólio e, inclusive, o que fazer para elaborar um documento que atraia os olhares de possíveis contratantes? Continue a leitura deste post e fique de olho nas dicas-chave que listamos para você!

O que é um portfólio?

Antes de tudo, vale muito a pena compreender do que se trata esse tipo de documento. Bem, de modo geral, o portfólio pode ser visto como uma apresentação daquilo que alguém sabe fazer de melhor. Ou seja, trata-se de um instrumento voltado a mostrar as principais habilidades de um profissional.

Portanto, basicamente, estamos falando de um conjunto organizado de trabalhos produzidos em um determinado período. Inclusive, a partir de um portfólio, torna-se viável que os potenciais clientes e recrutadores identifiquem — logo no primeiro contato — as técnicas, o estilo e as especialidades que você tem.

Para que serve?

Afinal, como negar que uma coletânea que resume os melhores trabalhos executados por alguém é uma excelente ferramenta para demonstrar o potencial e o nível de qualidade dos serviços oferecidos? Então, o portfólio serve para ampliar o “alcance de público”, atraindo quem está interessado nas competências de um talento, reunindo os feitos mais relevantes da carreira de um indivíduo e promovendo um grande reconhecimento profissional.

A propósito, é também por essa razão que esse tipo de apresentação é muito utilizado por quem realiza trabalhos artísticos, atuando na profissão de Designer Gráfico, de Ilustrador e/ou de Fotógrafo, por exemplo. Ao mesmo tempo, investir na elaboração do documento é uma ótima pedida para quem trilha a carreira de freelancer, independentemente da área de atuação, como redatores e webdesigners.

Por que vale a pena descobrir como montar um portfólio?

Complementando o que abordamos brevemente na introdução, criar uma coletânea com os melhores trabalhos já realizados é como elaborar um bom currículo, concorda? Aliás, aproveitando o gancho, é superimportante ressaltar que os dois documentos são diferentes, mas se complementam, sim, na função de apresentar um perfil profissional.

O currículo abrange informações sobre a trajetória acadêmica e profissional de maneira bastante descritiva, enquanto o portfólio é mais visual, já que visa a oferecer uma noção da experiência prática a quem o aprecia. De todo modo, o que vai chamar mais a atenção de recrutadores e/ou clientes em potencial é a experiência relatada em ambos.

Inclusive, outro ponto de destaque é a estrutura da apresentação, que deve ser atraente para o público-alvo. Afinal, ao saber como fazer um portfólio impecável, torna-se possível propor os próprios serviços para o mercado de forma atrativa. Até porque, via de regra, um profissional só será efetivamente contratado quando atestar a competência, a habilidade e a qualidade do trabalho executado.

A relevância de entender como fazer um portfólio profissional impecável

Não é à toa que descobrir como fazer um portfólio profissional é tão importante para quem está à procura de um emprego e/ou busca espaço em outros tipos de carreira, com o propósito de trabalhar de maneira autônoma, como dito. Elaborando o documento, você terá a oportunidade de mostrar, na prática, o que sabe executar com excelência e o que pretende entregar para quem o contratar.

Na verdade, o instrumento tende a auxiliá-lo até mesmo a fazer um bom networking. Você já parou para refletir como as pessoas que se interessam pelo trabalho de um profissional terão mais facilidade de encontrá-lo por meio de um portfólio? Pois é! Além disso, quando elas quiserem indicá-lo para conhecidos — que poderão se tornar futuros contratantes —, bastará direcioná-los para essa mesma coletânea de trabalhos.

Quais são os tipos de portfólio?

Você sabia que existem inúmeras maneiras de organizar esse documento que reúne tudo que é profissionalmente relevante? Inclusive, é válido ressaltar que os serviços realizados não precisam necessariamente ter sido remunerados para que sejam inseridos no portfólio. Ações de voluntariado ou trabalhos que você executou como testes podem, sim, fazer parte do material.

Afinal, ainda são atividades que demonstram as competências de um profissional, agregando valor ao perfil, concorda? Na verdade, incluí-los é até interessante, pois vai demonstrar uma preocupação social, bem como proatividade e interesse genuíno no desenvolvimento pessoal e da carreira.

Além disso, se você estiver começando em determinada área e quiser mostrar aptidão com programas específicos e/ou em outros campos de atuação, é bacana criar algumas amostras dos serviços. A prática, inclusive, contribui para o autoconhecimento profissional, já que pode auxiliá-lo a encontrar uma “identidade”.

Contudo, é fundamental enfatizar que o formato do portfólio vai depender do tipo de atividade executada. A seguir, confira alguns exemplos!

Físico

Para quem trabalha com peças manuais e/ou gosta de sempre levar consigo o portfólio, a versão física é a ideal. Além disso, trata-se de uma das melhores opções para determinadas profissões, como aquelas relacionadas a:

Aliás, caso as suas produções sejam digitais, uma boa pedida é imprimir todo o portfólio para anexá-lo ao currículo ou entregá-lo durante uma entrevista de emprego. Entretanto, se os responsáveis pelo processo seletivo não solicitarem o documento, é mais interessante perguntar com antecedência se você pode apresentá-lo, combinado?

Assim, será possível aproveitar melhor essa estratégia e não causar nenhum inconveniente — considerando que o material pode não ser o tipo de amostra adequado para a posição à qual você se candidatou. Portanto, seja cauteloso.

PDF

A propósito, falando no formato digital, uma alternativa superclássica quando se trata de como fazer um portfólio digital é o arquivo PDF. Nessa versão, o documento poderá ser anexado a e-mails e/ou submetido no processo de candidatura a vagas de emprego divulgadas em plataformas on-line.

Aliás, quer uma dica para evitar dores de cabeça? Ao elaborar um documento — seja um currículo, seja um portfólio — que poderá ser enviado digitalmente, lembre-se de sempre criar um arquivo não editável, como o PDF. Desse modo, você terá a certeza de que nenhum dado será perdido e, inclusive, de que nenhuma informação será adicionada sem um prévio consentimento.

Além disso, é interessante ter em mente que, no caso do portfólio em PDF, mesmo que o trabalho seja físico, ainda é possível inserir imagens de diferentes ângulos. Mais um ponto positivo do formato envolve a possibilidade de reunir diversas produções em um só documento, com um custo que será praticamente nulo, caso você mesmo saiba produzir o arquivo.

Hospedado em sites e plataformas on-line

Quer facilitar ainda mais o acesso ao portfólio que você montou? Então, experimente criar um site profissional. Com um endereço eletrônico exclusivo para essa finalidade, todos os dados de contato, os trabalhos prévios e as especialidades dominadas poderão ser divulgados.

Aliás, você também terá a oportunidade de acrescentar uma precificação, se essa for uma estratégia válida para os serviços comercializados. Inclusive, existem sites com hospedagem gratuita e versões pagas, que viabilizam uma personalização maior e, em alguns casos, a ampliação do alcance nos mecanismos de busca.

Ambas as opções têm vantagens, portanto, o indicado é escolher aquela que parece mais alinhada aos objetivos preestabelecidos. No mesmo sentido, uma alternativa igualmente válida é se inscrever nas redes sociais e em plataformas exclusivas para a autodivulgação.

Como montar um portfólio digital?

Para criar uma versão on-line do portfólio, será preciso escolher uma ferramenta que facilite o processo. No entanto, atualmente, é possível encontrar variadas opções disponíveis — logo, elaborá-lo não tende a ser um desafio. A seguir, elencamos algumas excelentes alternativas. Veja!

Recorra ao WordPress

O WordPress é uma das alternativas mais conhecidas, justamente por ser muito utilizada para criar sites — tanto de pessoas físicas quanto de pessoas jurídicas. O sistema permite a montagem de páginas virtuais, até mesmo oferecendo modelos prontos e gratuitos que podem ser personalizados com bastante facilidade.

Aliás, investir em um site próprio é uma excelente ideia, já que demonstra profissionalismo, também facilitando que o profissional seja encontrado nas buscas feitas na Internet. Por outro lado, é necessário considerar que será preciso criar um domínio e, talvez, arcar com os custos envolvidos. Então, é recomendável pesquisar os preços de hospedagem e analisar se essa é a melhor pedida para você.

Cogite utilizar a Behance

Outra solução bastante conhecida, a Behance é uma plataforma do grupo Adobe que é especializada na divulgação de portfólios. Embora seja muito popular em determinadas áreas, como Design e Ilustração, a ferramenta também pode ser usada por outras profissões.

Por lá, fica bem fácil entrar em contato com os profissionais. Afinal, assim como em uma rede social, você pode encontrar diversas pessoas e também ser encontrado.

Aposte no Wix

O Wix já tem uma proposta mais parecida com a do WordPress, possibilitando que você crie um site de forma simples, sem a necessidade de dispor de conhecimentos avançados em Design ou Programação, por exemplo. De lojas virtuais a portfólios, as utilidades da ferramenta são variadas e os usuários recorrem a ela para marcar presença digitalmente.

Avalie a proposta do DeviantArt

Mais uma possibilidade quando o assunto envolve como fazer um portfólio digital é o DeviantArt — uma plataforma muito usada para imagens e fotos. Na ferramenta, cada perfil tem o próprio mural para expor criações. Além disso, é possível adicionar informações pessoais e vender os trabalhos diretamente pelo DeviantArt.

Aposte nas redes sociais

Para completar, temos que destacar a alternativa que, possivelmente, é a mais acessível: usar as redes sociais. Afinal, muita gente acha mais prático utilizar o próprio perfil em alguma rede social (principalmente no Instagram e no Facebook) como um portfólio.

Inclusive, você também pode aproveitar essa ideia, mas é interessante ficar atento para que os objetivos almejados sejam alcançados. Não é recomendado, por exemplo, utilizar o mesmo perfil para postagens pessoais e/ou para a publicação de conteúdos que não estejam relacionados ao trabalho.

Se a intenção for tornar a mídia uma espécie de “apresentação profissional”, tenha esse cuidado, combinado? Aliás, outra boa dica é manter o perfil sempre atualizado!

Como montar um portfólio do zero?

Você já viu como é vantajoso ter os melhores trabalhos já executados reunidos em apenas um espaço, certo?! Um portfólio bem-feito é capaz de abrir diversas portas na vida de um profissional, aumentando consideravelmente as oportunidades de emprego e de contratação de serviços autônomos.

Então, o que você acha de aprender alguns truques incríveis para desenvolver um documento que realmente desperte o interesse de possíveis recrutadores e/ou clientes? Fique por dentro das nossas dicas!

1. Estabeleça o objetivo

O primeiro passo quando se trata de como montar um portfólio envolve definir o que você deseja alcançar. Dessa forma, torna-se viável organizar a ordem de apresentação, determinar os trabalhos que farão parte do documento e traçar estratégias que melhorarão os aspectos visuais.

Como vimos, há muitos elementos por trás da criação de um portfólio, como o domínio do público-alvo. Portanto, é imperativo pensar em quem seria o contratante ideal dos serviços oferecidos e no que ele gostaria de ver.

A importância da criação de uma persona

Nesse caso, a criação de uma persona, por exemplo, é uma estratégia superinteressante. Basicamente, trata-se de um personagem semifictício que reúne informações relevantes sobre os potenciais clientes. Logo, seja para oferecer serviços como freelancer, seja para pleitear uma vaga de emprego, aproveitar essa técnica é uma boa pedida!

Suponhamos que o mercado da área na qual você atua seja mais forte em outros países. Nesse caso, a persona provavelmente seria estrangeira, concorda? Então, a elaboração de um portfólio no idioma Inglês aumentaria as chances de acessar oportunidades interessantes. Faz sentido?!

A partir disso, podemos concluir que o pontapé inicial para criar o documento “do zero” é estabelecer um objetivo — que, nesse caso, seria a atração dessa persona. Em seguida, chegaríamos à fase do planejamento de toda a estrutura do portfólio.

2. Selecione os melhores trabalhos

Depois de finalizar a primeira etapa, é hora de dar sequência à preparação da apresentação profissional por meio do portfólio. Nesse estágio, traçar uma boa estratégia é fundamental para se destacar — e a seleção dos melhores trabalhos vai agregar um valor expressivo ao documento.

Você concorda que ninguém tem interesse que as pessoas vejam serviços que não mostram todo o potencial profissional? Pois é! Por esse motivo, escolha apenas os trabalhos que trazem aquela sensação de orgulho e, claro, que transmitem bem a mensagem que você deseja que o mercado receba.

Vale a pena levar os feedbacks em consideração!

A propósito, uma dica incrível para encontrar os melhores trabalhos é observar quais receberam um feedback mais positivo do público, de gestores e/ou de docentes — a depender do contexto. As atividades acadêmicas que obtiveram as maiores notas, por exemplo, podem ser incluídas, caso não haja nenhum critério de exclusividade com a Instituição de Ensino (IE).

Além disso, peça a opinião de pessoas de confiança, principalmente na escolha de peças visuais. Assim, será possível ter uma perspectiva de espectador sobre o trabalho que você produziu, o que viabilizará uma seleção mais crítica, tanto do nível técnico quanto de uma perspectiva intuitiva.

3. Apresente-se

É claro que o material vai servir como uma vitrine da qualidade do trabalho executado pelo profissional. Mesmo assim, não há mal algum — pelo contrário! — em se apresentar para que as outras pessoas saibam um pouco mais sobre você. Na verdade, a iniciativa tende a facilitar a conexão com os potenciais clientes, representando mais um fator favorável para uma possível contratação.

Então, aproveite para inserir uma seção de apresentação no portfólio, incluindo informações básicas e objetivas das suas qualificações. Um fotógrafo, por exemplo, pode relatar desde quando trabalha com fotografia e elencar as especificações relativas a habilidades e/ou a recursos técnicos relacionados às suas atividades, informando qual é a câmera utilizada e se existe a viabilidade de fazer imagens aéreas, por meio de drones.

Em outras palavras, é hora de explorar o marketing pessoal de maneira sucinta. Aliás, mais uma boa pedida envolve a inclusão de fotos, logomarca e depoimentos.

4. Apresente o contexto de cada trabalho

Também é superinteressante fazer uma breve descrição de cada um dos trabalhos reunidos no portfólio. Provavelmente, você já viu algo semelhante em museus e em exposições, não?!

Na prática, basta explicar o contexto e a inspiração que você teve durante a produção, o que ajuda na interpretação por parte do público. Para quem cria jogos digitais, inclusive, a tática é uma ótima maneira de apresentar o conceito do game.

Além disso, caso o serviço tenha sido executado para outro cliente, essa será a oportunidade de mostrar que você já tem experiência na área. No entanto, lembre-se de que esse tipo de trabalho só pode fazer parte de um portfólio profissional quando os direitos do uso de imagem ainda pertencem ao autor da obra — e, portanto, não são exclusivamente do consumidor —, combinado?

Como um “plus“, aí vai mais uma dica: caso o trabalho tenha algum valor emocional, é uma excelente ideia descrever como você se sentiu ao executá-lo. As peças artísticas, por exemplo, enquadram-se bem nessa sugestão.

5. Facilite a leitura e a navegação

Escaneabilidade — você já ouviu falar dessa palavra? Resumidamente, o termo diz respeito à facilidade que um leitor terá de “bater o olho” em um conteúdo e encontrar aquilo que deseja.

Ou seja, quando se trata de como montar um portfólio, é imperativo garantir que o documento poderá ser visualizado de maneira prática. Inclusive, mesmo que essa dica pareça ser mais voltada para o formato digital, dá para aproveitá-la ao elaborar uma versão física, viu?!

Não hesite em fugir da poluição visual!

Um dos grandes segredos no momento de montar um portfólio impecável envolve evitar ao máximo a poluição visual. Entenda: por mais que você queira dar um “toque extra” e caprichar na apresentação, é essencial ter em mente que o conteúdo é o principal destaque de todo o documento. Portanto, nada de adicionar adereços que ofusquem o objetivo do portfólio, ok?!

Então, na hora de elaborar o contexto, busque ser breve e evite usar palavras muito rebuscadas. A coesão textual faz toda a diferença no resumo, assim como a qualidade da escrita.

Fique de olho na usabilidade dos sites!

Aliás, caso você opte por utilizar um site para hospedar os trabalhos executados, certifique-se de que a página terá uma boa usabilidade. É imprescindível que os visitantes consigam navegar tranquilamente, até mesmo para não desistirem de analisar o portfólio.

Não se esqueça de que objetividade é a palavra de ordem!

No mesmo sentido, lembre-se também de que a objetividade faz toda a diferença na apresentação. Um cliente — ou um recrutador — em potencial não tem o mínimo interesse em perder muito tempo na hora de selecionar as opções mais adequadas para preencher uma vaga ou executar um determinado serviço. Portanto, tenha certeza de que será possível identificar o valor do trabalho desenvolvido em pouco tempo e já no primeiro contato.

6. Personalize

Agora, que tal deixar uma marca no portfólio? Assim, quem visitá-lo poderá se lembrar com mais facilidade de você. A medida envolve a criação de uma identidade visual na apresentação dos serviços executados com o intuito de ampliar as oportunidades profissionais.

Portanto, evite recorrer a modelos prontos para construir a coletânea dos trabalhos desenvolvidos. Mesmo que você escolha utilizar um site gratuito ou uma plataforma específica para a hospedagem de portfólios, saiba que existem diversas maneiras de personalizar o documento.

A organização gráfica merece total atenção

A organização gráfica é um incrível exemplo. Apostar em cores e fontes padronizadas e criar uma logo que tenha tudo a ver com você ajuda a reforçar o perfil profissional, adicionando um pouco mais de personalidade às obras, viu?!

O alinhamento da linguagem e do tom de voz é essencial

No entanto, não para por aí! A linguagem utilizada na apresentação também pode ser personalizada. Além disso, o ideal é que o tom de voz empregado seja igualmente adequado para o tipo de cliente e/ou de recrutador que você deseja atrair. Portanto, seja cauteloso quanto a esses elementos, combinado?!

A estrutura é a chave do sucesso

De todo modo, quando se trata de como montar um portfólio, o importante mesmo é entender como deve ser a estrutura do instrumento e, claro, utilizar boas estratégias para produzir um conteúdo de valor. Afinal, a ideia é gerar reconhecimento e aumentar as chances de conseguir bons resultados profissionais!

7. Cuide dos detalhes

Depois de ter acesso a uma prévia do conteúdo todo estruturado, não se esqueça de considerar alguns detalhes que vão ajudar a atingir um resultado ainda melhor. O refinamento do material vai garantir que os interessados nas habilidades do profissional tenham a melhor experiência possível ao entrar em contato com o trabalho.

Aí vão algumas dicas importantes nesse sentido:

  • releia várias vezes o portfólio elaborado para corrigir eventuais erros de escrita que possam transmitir uma imagem de desleixo;
  • verifique se as imagens estão em alta qualidade e se deixam o material interessante, seguindo uma disposição adequada;
  • confira se o alinhamento do texto está agradável para a leitura;
  • dedique um tempo especial para a criação da capa e, quando não houver um padrão a ser seguido, dedique-se para deixá-la bem atraente, mas sem destoar do restante do material.

A propósito, antes de dar o trabalho como pronto, uma ideia válida é pedir para, pelo menos, uma pessoa conferir o documento, com a finalidade de coletar feedbacks.

8. Pense na divulgação

De que adianta ter um ótimo portfólio se o instrumento não cumprir o principal papel? Já pensou nisso? Portanto, além de preparar o material, você deve refletir acerca de como divulgá-lo para que o documento seja visto pelas pessoas certas.

Nesse contexto, uma das vantagens do meio digital é a praticidade de contatar várias pessoas — ou de se fazer ser visto por elas — ao mesmo tempo, sem ter que distribuir o material na versão física. Aliás, é válido sempre ter o portfólio digitalizado, mesmo que a principal demanda seja o formato impresso.

No mais, não deixe de usar as redes sociais e outros meios de comunicação para expor os trabalhos executados e aumentar as chances de fazer negócios, combinado?!

E aí? Gostou de descobrir como montar um portfólio impecável? Então, é hora de colocar em prática todas as dicas-chave que elencamos e elaborar um documento que tenha tudo a ver com o que você faz de melhor. Além disso, lembre-se de divulgar bastante o arquivo pronto, já que a ampliação do alcance de possíveis interessados em contratá-lo é essencial para potencializar os seus resultados!

Agora que você já está por dentro do passo a passo necessário quando o assunto envolve como montar um portfólio, aproveite para ler também o nosso post que explica como criar um bom currículo!

Veja se você está pronto para uma transição de carreira!

Compartilhe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Receba conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail!

Diga o que está em sua mente

Seu endereço de e-mail não será publicado.