vícios de linguagem

O que são vícios de linguagem e quais os principais?

Falar e escrever bem são pré-requisitos para ter sucesso no mercado de trabalho. Afinal, ajudam a garantir uma comunicação de qualidade por onde quer que você passe e a causar uma boa impressão. Por isso, saber como tirar vícios de linguagem pode fazer total diferença.

Esses equívocos comumente passam despercebidos ou são irrelevantes em diálogos informais. No entanto, podem comprometer a imagem e a postura profissional em momentos importantes, como entrevistas de emprego, reuniões e apresentações.

Então, que tal saber mais sobre os vícios de linguagem e como evitá-los no dia a dia? Acompanhe este post e entenda melhor o tema!

O que são vícios de linguagem?

São problemas que empobrecem a comunicação e não se adequam à norma culta do idioma. Seja por desconhecimento ou desatenção, erros de português podem ser muito prejudiciais em algumas ocasiões. Em especial no âmbito profissional.

Saber o que são vícios de linguagem, como evitar e qual é a forma correta de escrever e falar pode fazer muita diferença. Isso ajuda a ter um bom desempenho, por exemplo, nos trabalhos da faculdade e em processos seletivos, com destaque para entrevistas de emprego.

Fazer o uso do português correto ajuda também a se destacar em ambientes de trabalho e conseguir mais reconhecimento profissional. Afinal, uma boa comunicação contribui muito para uma boa imagem.

Quais os vícios de linguagem mais comuns?

Para entender esses deslizes, nada melhor do que conferir exemplos clássicos. A seguir, veja alguns hábitos de escrita e fala que podem gerar problemas na compreensão ou na gramática, e descubra quais desses erros você comete.

Pleonasmo

“Entrar para dentro”, “subir para cima”, “cair para baixo”. Todas essas são expressões que a maioria das pessoas já usou ao menos uma vez na vida. Elas são marcadas pelo uso desnecessário de palavras que têm o mesmo significado, caracterizando uma redundância.

O pleonasmo é um vício de linguagem típico da fala, pois repete a mesma informação, trazendo uma redundância que prejudica a estrutura das frases. Por isso, é importante se vigiar para evitá-lo tanto nos diálogos quanto na escrita.

Cacofonia

“Uma mão e um pé”. Consegue perceber o que é sonoramente desconfortável na frase? Um conjunto de palavras ou letras que soam estranho, principalmente quando falado, deve ser evitado. Até mesmo em situações informais, isso pode atrapalhar a compreensão do que é dito.

A cacofonia é categorizada pela união de sons que formam uma sonoridade desagradável, confusa ou engraçada. Nesse exemplo, “uma mão”, dito em voz alta, pode soar como “mamão” e complicar o entendimento da frase, ou distrair o interlocutor.

O ideal é substituir combinações como essa por palavras com uma sonoridade melhor ao serem faladas juntas. Nesse caso, a reformulação “A mão e o pé”, por exemplo, preserva a ideia de unidade e não gera estranheza ao ser lida.

Barbarismo

Pensando rápido, você sabe dizer qual é o plural de “cidadão”? Muitas pessoas, quando não prestam atenção na palavra, podem cometer equívocos, como dizer “cidadões”.

Isso vale, também, para palavras que costumam ser ditas de forma errada, geralmente com uma letra a mais em alguma sílaba importante, como:

  • mortandela (mortadela);
  • iorgute (iogurte);
  • sombrancelha (sobrancelha);
  • largata (lagarta).

O nome dado para esse tipo de problema de linguagem é “barbarismo”. O termo deriva de “bárbaro”, como você pode imaginar, e se refere a algo se opõe às regras. Esse problema traz uma pronúncia ou escrita inadequada de uma palavra, seja no sentido semântico ou no morfológico.

Gerundismo

Esse vício de linguagem é uma armadilha muito frequente em contextos mais formais. Você provavelmente já ouviu alguém dizer “estarei encaminhando sua ligação”.

O gerundismo é um tipo de vício de linguagem que não necessariamente traz prejuízos ao entendimento da mensagem. Mas ele implica o uso do gerúndio de modo totalmente desnecessário e não resulta em uma boa impressão.

Há quem use esse recurso em uma tentativa de deixar as frases mais rebuscadas e gerar o senso de continuidade. O problema é que isso tende a tornar a comunicação cansativa.

Além disso, às vezes, passa a impressão de que a ação será postergada ou demorada, o que pode não transmitir confiabilidade. Então, o melhor é se comunicar de forma mais objetiva. Por exemplo: “encaminharei sua ligação em instantes”.

Por que vícios de linguagem são prejudiciais?

Por mais que seja comum cometer um deslize ou outro no próprio idioma, erros recorrentes podem trazer prejuízos à imagem. Isso vale também para o contexto social, mas, em geral, a comunicação pode ser mais relaxada nesse âmbito. No entanto, é imprescindível ter atenção a esses aspectos em ambientes acadêmicos e profissionais.

Os vícios de linguagem comumente interferem na compreensão das frases faladas ou escritas. Além de causar uma má impressão no interlocutor, que pode ver você como menos confiável por isso. Em um ambiente profissional, isso pode gerar diversos problemas. Não é à toa que os recrutadores e o mercado de trabalho valorizam pessoas que apresentam um bom conhecimento do português.

Como se livrar dos vícios de linguagem?

Você já entendeu que evitar esses problemas é importante para a reputação profissional. Agora, talvez se pergunte: o que fazer para garantir o uso correto do português? Confira dicas a seguir.

Saiba onde você erra

Conseguiu identificar algum vício de linguagem que você comete com frequência? Esse é o primeiro passo para se corrigir e ter mais atenção na hora de construir frases. Lembre-se: conhecer o problema ajuda a dar início à solução.

Estude

Seja sozinho ou em grupo, buscar aprender mais sobre o uso correto do português melhora tanto a fala como a escrita. Desse modo, reservar um momento da rotina para aprender mais sobre a língua faz total diferença.

Além disso, é possível aproveitar livros dos mais variados gêneros para estudar e se entreter ao mesmo tempo. Outra dica é fazer leituras em voz alta, para treinar a fala e entender como é feita a construção das frases. Dessa forma, é possível identificar como vícios de linguagem interferem na compreensão de termos verbalizados.

Pratique

Para melhorar a comunicação, é fundamental colocá-la em prática. Sendo assim, experimente cortar os vícios de linguagem até mesmo nas conversas informais, para se acostumar com outro modo de se expressar.

Busque, também, se envolver em mais conversas. Isso vai ajudar a compreender melhor o uso do português em diversas ocasiões. Intuitivamente, é possível aprender muito sobre semântica, regência e demais questões relacionadas à língua portuguesa, mesmo em diálogos casuais.

Agora, você conhece os principais vícios de linguagem aos quais deve ter atenção e tem uma noção de como se livrar deles. Tenha em mente também que, apesar de ser necessário corrigir os erros, cometer um equívoco ou outro não precisa ser motivo de constrangimento. O português é um idioma complicado e que leva tempo para dominar, mesmo enquanto língua materna. Apenas se disponha a se policiar e aprender cada vez mais.

Tanto para disciplinas que exigem um excelente português como para outras, é importante estudar de forma inteligente. Descubra já como criar uma rotina de estudos de sucesso!

Compartilhe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Receba conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail!

Diga o que está em sua mente

Seu endereço de e-mail não será publicado.