Explore a Psicologia Fenomenológica Existencial: descubra sua essência e saiba como ingressar nesse campo enriquecedor.

O que é Psicologia Fenomenológica Existencial e como atuar na área

Uma dúvida muito comum para quem faz Psicologia é em quais áreas trabalhar, não é mesmo? E uma das áreas que mais tem crescido nos últimos anos é a Psicologia Fenomenológica Existencial. Mas você sabe o que é e quais são as possibilidades de atuação?

Continue a leitura deste post para entender tudo sobre essa área!

O que é a abordagem Fenomenológica Existencial?

Trata-se de uma corrente filosófica e psicológica que se concentra na compreensão da experiência humana autêntica e na busca por significado na existência. Essa abordagem se originou das obras de filósofos como Edmund Husserl e Martin Heidegger e, posteriormente, foi incorporada à psicologia por pensadores como Rollo May e Viktor Frankl.

O principal objetivo da Fenomenologia Existencial está na ideia de explorar a realidade a partir da perspectiva individual e subjetiva. Ela se distingue pela sua ênfase na vivência direta e imediata, buscando compreender os fenômenos como eles são vividos, além das interpretações prévias.

Essa abordagem valoriza a liberdade e a responsabilidade individuais, explorando como os seres humanos confrontam as escolhas, a angústia e a finitude. Ainda, reconhece que a existência humana é marcada por conflitos internos entre desejos e limitações, destacando a importância de enfrentar esses conflitos de maneira autêntica.

Uma das principais contribuições da Fenomenologia Existencial para a psicologia é a ênfase na busca por sentido e propósito na vida. Viktor Frankl, por exemplo, desenvolveu a Logoterapia, uma abordagem terapêutica baseada na ideia de que encontrar um propósito é fundamental para a saúde mental e emocional.

Como é a Terapia Fenomenológico Existencial?

A partir dessa abordagem, existem vários outros conceitos que se desencadeiam, como a Terapia Fenomenológico Existencial. Que tal entender como funciona?

Exploração da vivência subjetiva

Na Terapia Fenomenológico Existencial, o terapeuta e o paciente colaboram para explorar a experiência subjetiva de forma profunda e aberta. Isso envolve despir-se das interpretações prévias e examinar diretamente as vivências, sentimentos e pensamentos do analisando.

Assim, o psicólogo procura entender como aquela pessoa percebe e interpreta o mundo ao seu redor, ajudando-o a identificar os padrões de pensamento e comportamento que influenciam em sua visão de si mesmo e dos outros. Aqui, o foco é na autenticidade e na autonomia

Um dos pilares da abordagem Fenomenológico Existencial é a autenticidade. A terapia incentiva os pacientes a explorar quem eles realmente são, em vez de se conformarem com expectativas sociais ou papéis predefinidos.

Ademais, os terapeutas ajudam seus clientes a reconhecer e aceitar suas próprias emoções, desejos e valores, encorajando-os a viver de acordo com sua verdadeira natureza. Isso envolve assumir a responsabilidade por suas escolhas e ações, mesmo quando enfrentam desafios e conflitos.

Compreensão da liberdade e responsabilidade

A Terapia Fenomenológico Existencial enfatiza a liberdade inerente à existência humana. Os psicólogos auxiliam os indivíduos a perceberem que têm a capacidade de fazer escolhas conscientes e que suas ações têm impacto sobre suas vidas e na vida dos outros.

Isso também implica assumir a responsabilidade por essas escolhas. Ao explorar a relação entre liberdade e responsabilidade, os pacientes são incentivados a adotar uma abordagem mais consciente e comprometida para lidar com os desafios da vida.

Busca por significado e propósito

A Terapia Fenomenológico Existencial considera a busca por sentido e propósito como uma parte essencial da existência humana. Os especialistas auxiliam os pacientes a explorar suas aspirações, valores e crenças, ajudando-os a encontrar um senso de significado em suas vidas.

Isso pode envolver a reflexão sobre as experiências passadas, a exploração das paixões e a consideração das possibilidades futuras. A abordagem também valoriza a capacidade de encontrar sentido mesmo em situações desafiadoras e não se autossabotar.

Diálogo aberto e reflexão

A Terapia Fenomenológico Existencial é caracterizada por um diálogo aberto e reflexivo entre o terapeuta e o paciente. O psicólogo atua como um facilitador, fazendo perguntas abertas que estimulam a reflexão profunda e a exploração das experiências internas.

Já o analisando é encorajado a examinar suas crenças e perspectivas, muitas vezes trazendo insights que podem levar a uma compreensão mais profunda de si mesmo e de suas preocupações.

Aceitação das tensões e conflitos internos

A abordagem Fenomenológico Existencial reconhece que a existência humana é permeada por tensões e conflitos internos. Os profissionais auxiliam os pacientes a explorar essas tensões sem julgamento, incentivando a aceitação das dualidades e ambiguidades presentes na vida.

Isso pode envolver explorar as lutas entre liberdade e determinismo, autenticidade e conformidade, entre outras contradições inerentes à condição humana.

Desenvolvimento da autorrealização

A Terapia Fenomenológico Existencial visa promover a autorrealização, permitindo que os indivíduos cresçam e se desenvolvam de maneira autêntica. Isso envolve a busca por uma vida significativa e a exploração das próprias potencialidades.

Nesse sentido, os terapeutas auxiliam os pacientes a identificar os obstáculos internos e externos que podem estar impedindo seu crescimento, incentivando a superação desses desafios com uma abordagem consciente e comprometida.

Qual a diferença entre a Teoria Fenomenológica e a Existencialista?

As Teorias Fenomenológica e Existencialista, embora compartilhem algumas semelhanças, têm diferenças fundamentais em sua abordagem à experiência humana e à compreensão da existência.

Natureza da experiência humana

A Fenomenologia direciona seu olhar para a descrição minuciosa e análise da experiência direta.

Desse modo, seu foco recai sobre como objetos e eventos são percebidos e interpretados pelo sujeito, buscando capturar a essência dos fenômenos e compreender como são experienciados individualmente. Ela salienta a subjetividade da percepção, enfatizando como cada indivíduo constrói sua visão única do mundo.

Em contrapartida, o Existencialismo se concentra na interpretação mais ampla do significado e natureza da existência humana.

Assim, vai além da descrição das experiências para questionar o propósito subjacente a essa existência. Ainda, o Existencialismo lida com questões fundamentais relacionadas à liberdade, responsabilidade, angústia e autenticidade, explorando o sentido profundo da experiência humana.

Ênfase na subjetividade e objetividade

No que diz respeito à ênfase dada à subjetividade e objetividade, a Fenomenologia destaca a primeira como ponto central. Ainda, valoriza a experiência individual e como cada pessoa percebe e interpreta o mundo à sua volta. Através dessa perspectiva subjetiva, busca compreender as diversas maneiras pelas quais as pessoas veem e experienciam o mundo.

Por outro lado, o Existencialismo também reconhece a importância da subjetividade, mas expande essa noção para explorar questões mais amplas relacionadas à existência humana. Além de observar como percebemos o mundo, questiona o porquê de estarmos aqui, qual é o significado de nossas escolhas e como nossa liberdade influencia na criação de nossa própria identidade.

Voltando à liberdade e responsabilidade

No âmbito da liberdade e responsabilidade, a Fenomenologia reconhece a liberdade de escolha como parte da experiência humana, mas não é central em sua abordagem. Enquanto analisa como os objetos são percebidos, a Fenomenologia não se aprofunda tanto nas implicações existenciais e morais da liberdade.

Em contraste, o Existencialismo coloca a liberdade como um pilar fundamental de sua filosofia. Assim, explora profundamente a responsabilidade inerente à liberdade humana, considerando como nossas escolhas moldam nossas vidas e influenciam nosso senso de propósito.

Busca por significado e propósito

A busca por significado e propósito também se difere nas duas abordagens. A Fenomenologia, embora não ignore a busca por sentido, tende a focar mais na descrição da experiência em si. Ademais, analisa como os fenômenos são apreendidos, mas não se aprofunda tanto nas implicações existenciais dessa apreensão.

Já o Existencialismo coloca a busca por significado como uma questão central, questionando:

  • o motivo de estarmos aqui;
  • como podemos encontrar um senso de propósito em um mundo aparentemente absurdo;
  • como podemos viver de maneira autêntica diante da inevitabilidade da morte.

Qual a relação entre essa abordagem e a humanista?

A relação entre a Teoria Fenomenológica e a abordagem humanista é marcada por uma conexão intrínseca, uma vez que ambas compartilham uma visão centrada na experiência humana autêntica e no crescimento pessoal. Mas como elas se relacionam?

Ênfase na experiência subjetiva

A Teoria Fenomenológica e a abordagem humanista valorizam profundamente a experiência subjetiva individual. A fenomenologia, ao investigar a vivência direta e imediata, examina como os seres humanos percebem e interpretam o mundo ao seu redor.

Por sua vez, a abordagem humanista direciona sua atenção para a busca da autenticidade, incentivando os indivíduos a explorar e aceitar suas emoções, valores e desejos. Ambas as abordagens reconhecem que a compreensão da experiência interna é essencial para o crescimento pessoal e a realização.

Autenticidade e autorrealização

Tanto a Teoria Fenomenológica quanto a abordagem humanista enfatizam a importância da autenticidade e da autorrealização na jornada humana. A fenomenologia destaca a necessidade de explorar a realidade sem filtros, abraçando a verdadeira natureza das experiências.

Enquanto isso, a abordagem humanista promove a busca pela autorrealização, incentivando os indivíduos a desenvolverem todo o seu potencial e a se tornarem a versão mais autêntica de si mesmos.

Valorização da liberdade e responsabilidade

A liberdade e a responsabilidade são conceitos essenciais tanto na Teoria Fenomenológica quanto na abordagem humanista. A fenomenologia reconhece a liberdade na forma como os seres humanos interpretam e dão significado às experiências.

Já a abordagem humanista coloca a liberdade como um princípio fundamental, destacando que os indivíduos têm a capacidade de fazer escolhas conscientes e moldar suas vidas de acordo com seus valores e aspirações.

Essa é apenas uma das muitas abordagens que você pode aprender durante a graduação. E nada melhor do que começar os seus estudos em uma instituição de confiança, não é mesmo? Conheça o curso de graduação em Psicologia da Anhembi Morumbi!

O QUE FAZER COM A NOTA DO ENEM

Compartilhe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Receba conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail!

Diga o que está em sua mente

Seu endereço de e-mail não será publicado.