autodidata

Como posso ser uma pessoa autodidata?

Quer impulsionar os estudos e aprender do seu próprio jeito? Tornar-se autodidata é uma opção. Engana-se quem pensa que essa é uma habilidade nata e que os indivíduos já nascem sabendo estudar por conta própria.

Afinal, é possível desenvolver algumas competências, como organização, planejamento e foco, para aprender a ser autodidata. Assim, fica muito mais fácil desfrutar dos benefícios que uma boa rotina de estudos pode trazer para a vida pessoal, acadêmica e profissional.

Quer saber como dar o primeiro passo? Então, saiba que chegou ao lugar certo! A seguir, confira um guia repleto de dicas importantes para melhorar o aprendizado.

O que é uma pessoa autodidata?

Para começar, que tal entender o que tudo isso significa? A palavra, em si, traz o significado de “ensinar a si mesmo”. Ou seja, praticar o autodidatismo nada mais é do que ter a autonomia do próprio aprendizado.

Na prática, trata-se de adotar métodos de estudo e identificar os recursos que melhor funcionam para você, quando o objetivo é absorver conteúdos e adquirir conhecimentos. Não existem regras para isso, tendo em vista que o aprendizado é uma capacidade cognitiva muito individual.

Dessa maneira, para ser autodidata, é importante também cultivar uma boa porção de autoconhecimento. Somente assim você encontra as melhores técnicas que pode usar para aprender um ou mais conteúdos por conta própria.

Quais os benefícios de ser autodidata?

Mas, afinal, o que uma pessoa ganha ao tentar viver o autodidatismo? Acredite, essa é uma prática que traz ótimos retornos não apenas no desempenho acadêmico, como permite desenvolver ótimas qualidades para ter uma jornada profissional de sucesso.

Inclusive, é uma habilidade que pode ser desenvolvida por quem está em busca de novos rumos para a carreira, como pessoas que desejam mudar de profissão ou iniciar em uma nova área de atuação.

Sem mencionar que é possível, também, conquistar um bom desenvolvimento pessoal. Como você viu, o autoconhecimento é uma característica importante para se tornar uma pessoa autodidata, mas várias outras competências são estimuladas com esse hábito.

Para explicar melhor o que o autodidatismo tem a oferecer de positivo para a vida de um indivíduo, fizemos uma lista com os principais benefícios dessa capacidade. Confira!

Otimização de tempo

Apesar de o estudo em grupo oferecer uma série de vantagens, existem também alguns desafios, que não são encontrados quando uma pessoa decide aprender por conta própria.

Esse é o caso da gestão de tempo. Estudar sozinho abre margem para seguir no próprio ritmo. Isso ajuda a dedicar mais horas nos conteúdos em que encontra mais dificuldade, ao mesmo tempo em que é possível passar mais rápido pelas matérias que são consideradas mais fáceis pelo indivíduo.

Ao longo da rotina de estudos, isso garante uma boa otimização de tempo. Para quem tem poucos horários disponíveis no dia a dia para se dedicar ao desenvolvimento intelectual, esse é um benefício e tanto.

Estímulo à criatividade

Sabe o que mais você pode aprender ao se desafiar a estudar por conta própria? A ter ideias mais inovadoras e que trazem alguma vantagem para os objetivos definidos.

Afinal, criando as próprias regras e definindo os métodos que deseja utilizar no aprendizado, é possível se livrar de apenas uma metodologia de ensino. Inclusive, é possível pegar um pouco de cada técnica utilizada na área da Educação e usá-las de maneira criativa no cotidiano.

Quer um exemplo disso? Imagine que você precisa estudar Física para o vestibular. Em vez de usar as técnicas mnemônicas clássicas para decorar as fórmulas, é possível definir estratégias mentais que ajudem a lembrar do conteúdo de forma muito mais intuitiva, sem apelar para a famosa “decoreba”.

Autonomia

Essa é uma habilidade que estimula várias outras competências que vão ajudar muito na vida pessoal e profissional, como iniciativa, proatividade e responsabilidade. Para começar, o compromisso do indivíduo com os estudos é feito consigo mesmo.

Isso já mostra a iniciativa de definir os próprios caminhos e objetivos. Essa capacidade, inclusive, pode se expandir para a carreira, ajudando a criar planos realísticos e com metas alcançáveis.

Outro ponto é que a pessoa se torna mais responsável ao criar o hábito de seguir o planejamento que criou, buscando ser mais pontual e precisa no dia a dia. Ou seja, estamos de frente a outras qualidades muito apreciadas no mercado de trabalho e no meio acadêmico.

Vale destacar ainda que o autodidatismo não é uma tarefa simples e envolve decisões diárias para se desenvolver. Assim, é possível também trabalhar uma personalidade mais proativa, que identifica os problemas rapidamente e não poupa esforços em ter ideias para solucioná-los o quanto antes. 

Quais são as principais características das pessoas autodidatas?

Até aqui, já deu para perceber que várias outras qualidades comportamentais vêm como bônus na busca por estudar sozinho. Inclusive, é importante ressaltar que o autodidatismo não dispensa a matrícula em um curso em uma instituição de ensino.

Afinal, é totalmente possível fazer uma graduação ou uma pós-graduação e, ao mesmo tempo, estudar por conta própria. O que muda é apenas a organização da rotina de aprendizagem, utilizando técnicas que ajudam a otimizá-la.

No entanto, como saber se você está se tornando uma pessoa autodidata? Saiba que os indivíduos que adotam essa prática costumam apresentar algumas características em comum, devido ao desenvolvimento das habilidades que citamos.

A seguir, veja os principais traços de personalidade de pessoas que são ou que estão se tornando autodidatas!

São organizadas

É praticamente impossível negar que a organização é a palavra-chave de todo esse conceito, não é mesmo? Afinal, para se ensinar um novo conteúdo, é importante definir e seguir todas as etapas para que esse conhecimento seja consolidado,

Intuitivamente, o estudante se torna mais organizado e tem mais facilidade em cumprir prazos, encontrar informações, armazenar arquivos ou documentos, entre outras habilidades úteis no dia a dia.

Montam e seguem os cronogramas de estudo

Como no autodidatismo não existe nenhuma outra pessoa dando ordens ou definindo os prazos, é preciso fazer isso por conta própria. Por isso, a capacidade de planejamento também é bastante estimulada com essa prática.

Isso é necessário não apenas para montar como para seguir os cronogramas de estudo. Dessa maneira, é possível organizar melhor o dia a dia para encaixar os horários dedicados ao aprendizado, sem superestimar nem subestimar demais o tempo necessário para essas atividades.

Não procrastinam

Adiar o início de uma tarefa pode trazer vários prejuízos no planejamento e no cumprimento de prazos. Para quem estuda por conta própria, esse é um grande problema para alcançar as metas definidas.

É por esse motivo que pessoas autodidatas costumam procrastinar menos no dia a dia. Para isso, entendem que o equilíbrio na rotina é fundamental para descansarem o suficiente e estarem com a mente relaxada para dar início à programação de estudos.

Gostam de estudar sozinhas

É claro que para se ensinar um conteúdo novo ou fazer revisões das matérias já aprendidas, esses indivíduos também curtem estudar por conta própria. Dessa forma, torna-se mais fácil seguir o próprio ritmo e evitar as distrações que podem aparecer no dia a dia.

Como consequência, os resultados do período de estudos são mais positivos e produtivos. Além disso, quem pratica o autodidatismo desenvolve novas estratégias para tirar as dúvidas e manter a motivação, já que passam a maior parte do tempo aprendendo sozinhas.

Como ser autodidata?

Quer ver, com mais detalhes, o que você pode fazer para tornar o autodidatismo um hábito? Como visto, as técnicas de estudo mais eficazes variam de pessoa para pessoa. Afinal, o aprendizado é subjetivo.

No entanto, existem alguns recursos que funcionam com a maioria das pessoas que também tomou essa decisão. A seguir, confira os principais deles!

Faça cursos online

As aulas ministradas de modo remoto oferecem uma dinâmica diferente, com mais flexibilidade e autonomia para os alunos. É por essa razão que os cursos digitais são interessantes para os autodidatas.

Optar pelo ensino a distância (EAD), por exemplo, na hora de fazer uma graduação ou uma pós, é uma excelente ideia. Assim, é mais prático montar a própria rotina de estudos e definir a forma que pretende estudar uma determinada disciplina.

Essa é uma vantagem até mesmo para quem não está no Ensino Superior. Existem diversas aulas online, como cursos livres, que ajudam no desenvolvimento intelectual associado ao autodidatismo.

Leia bastante

Materiais didáticos, livros literários, artigos acadêmicos, notícias, revistas: todos esses são conteúdos que precisam estar presentes em uma rotina autodidata. Afinal, são ótimas fontes de conhecimento e que podem ser manuseadas por conta própria.

Assim, há uma maior independência no aprendizado, sendo mais fácil cumprir uma das principais propostas do autodidatismo. Sem mencionar que são conteúdos que podem ser encontrados com facilidade na internet e estudados a qualquer momento do dia.

Se você ainda não tem o hábito de leitura, é possível desenvolvê-lo aos poucos. Definir um determinado período do dia exclusivamente para ter contato com qualquer tipo de material escrito é bastante útil. Para começar, tente ler um livro descontraído por 30 minutos diários, até que isso se torne mais intuitivo.

Faça pesquisas

Quando o objetivo é reforçar o aprendizado, é importante estar sempre em busca de novas informações. Para isso, aprender a pesquisar é uma peça-chave na rotina de uma pessoa autodidata.

Lembre-se de que é fundamental encontrar informações verídicas para garantir uma boa produtividade nos estudos. Sendo assim, fazer pesquisas em ambientes confiáveis é um passo indispensável.

Nesse contexto, uma dica que vai fazer toda a diferença na rotina de aprendizagem é buscar sempre a fonte original de uma informação. Está lendo dados estatísticos sobre um determinado assunto? Então, tente encontrar os responsáveis por esses estudos ou pesquisas e leia diretamente esses materiais, sempre que possível.

Assista a vídeos

Conteúdos escritos não são as únicas fontes de conhecimento que um autodidata pode aproveitar na rotina de estudos. Assistir a conteúdos audiovisuais é outra ótima estratégia.

Afinal, os vídeos são capazes de proporcionar tanto estímulos visuais quanto auditivos. Dessa maneira, é possível prestar atenção na aula e ter uma absorção de conteúdo muito produtiva.

No entanto, nem sempre assistir a vídeos é o suficiente para aprender um assunto. Por isso, é importante mesclar diferentes fontes de conhecimento, como livros didáticos e aulas gravadas.

Tenha curiosidade

Para finalizar com chave de ouro o processo para se tornar uma pessoa autodidata, grave na memória essa dica: esteja sempre em busca de algo novo. Ser um indivíduo curioso também significa ser alguém que não se satisfaz com apenas uma informação.

Afinal, sempre é possível aprender um pouco mais. Só que, para isso, é preciso ter mais curiosidade para despertar a iniciativa de investigar e pesquisar além do conteúdo aprendido.

Essa é uma estratégia para ter um desenvolvimento intelectual constante e se atualizar com frequência sobre os assuntos estudados. A longo prazo, isso ajuda a se tornar uma pessoa informada e que não poupa esforços para se manter em crescimento.

Gostou de conhecer melhor esse conceito? Tornar-se autodidata é capaz de proporcionar ótimas oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional. Além disso, é uma maneira de otimizar a rotina de estudos e ter um desempenho ainda mais satisfatório. Por esse motivo, vale a pena colocar em prática as dicas que citamos, até descobrir as melhores estratégias para se ensinar novos conteúdos no dia a dia.

Quer dar o primeiro passo? Então, veja agora mesmo o que você pode fazer para criar uma rotina de estudos de sucesso!

Compartilhe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Receba conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail!

Diga o que está em sua mente

Seu endereço de e-mail não será publicado.