Analista de sistemas: o que faz? Como anda o mercado? Entenda tudo sobre a profissão aqui!

Responder à principal pergunta do título, “analista de sistemas: o que faz?”, envolve um amplo conjunto de aplicações, pois essa é uma das profissões mais solicitadas em vários segmentos de atuação.

Esse é um dos motivos para pensarmos no crescimento da área de tecnologia como profissão do futuro, pois praticamente não há mais empresas e organizações que possam funcionar sem o desenvolvimento de sistemas e os profissionais dedicados a isso.

A demanda por especialistas da área é enorme e muitas vagas deixam de ser preenchidas por falta de pessoas capacitadas. De olho nesse mercado de trabalho, continue a leitura, descubra a dimensão das oportunidades disponíveis e avalie se o seu perfil se encaixa no desejado para um analista de sistemas. Acompanhe!

O que faz um Analista de Sistemas?

Para começar, vamos responder à pergunta principal: o que faz um analista de sistemas? Basicamente, esse profissional desenvolve soluções específicas em sistemas informatizados, desde a concepção. 

Ele é capacitado para levantar requisitos de determinado projeto, ou seja, as necessidades dos usuários que precisam ser atendidas, para planejar e executar cada etapa do desenvolvimento da aplicação.

Para fazer isso, deve-se considerar uma série de variáveis, pois o bom funcionamento do sistema depende de fatores diversos, como a utilização e configuração de hardware, modelagem de dados, gestão de banco de dados e assim por diante.

Aliás, o termo sistema define, justamente, um conjunto ordenado de elementos que operam interligados para executar funções de modo organizado e otimizado. Um bom analista precisa desenvolver uma visão sistêmica ou holística, para projetar aplicações com essas características.  

Entre as responsabilidades de um analista, podemos citar:

  • criação e desenvolvimento de sistemas e aplicações informatizadas;
  • realização de manutenção de sistemas e aplicações;
  • programação de computadores;
  • desenvolvimento de interface gráfica; 
  • elaboração de critérios de navegação;
  • montagem da estrutura de banco de dados;
  • codificação de programas;
  • aplicação de testes de software;
  • implantação de sistemas.

Como é o mercado de trabalho para um Analista de Sistemas?

Agora que está claro o que faz um analista de sistemas, podemos abordar mais detalhadamente o mercado de trabalho para esse profissional.

Como já mencionamos na introdução e é amplamente divulgado pela mídia, muitas empresas procuram e disputam os melhores e mais bem capacitados especialistas em tecnologia, o que inclui os analistas de sistemas. 

O profissional da área de Análise e Desenvolvimento de Sistemas tem a opção de atuar em empresas dos mais variados portes e segmentos, seja como contratado pela CLT, seja de forma autônoma. 

Ele é responsável por:

  • analisar;
  • projetar;
  • documentar;
  • especificar;
  • testar;
  • implementar e cuidar da manutenção de sistemas.

Além disso, existem boas oportunidades:

  • como consultor especializado;
  • em departamentos de empresas privadas;
  • em instituições públicas;
  • em empresas que desenvolvem sistemas informatizados; 
  • em startups de tecnologia.

Atualmente, nenhuma empresa pode cogitar um grande sucesso no mercado sem as ferramentas certas para executar controles e gerenciar processos. Todo o empreendimento depende da atividade de desenvolvimento de sistemas, desde o momento de publicar um site até a coleta de informações de pesquisas de satisfação e para análises estratégicas mais aprofundadas.

Em início de carreira, a média salarial de um analista é de R$ 2.130. Com mais experiência, esse valor pode chegar facilmente a R$ 6.400. Contudo, alguns analistas alcançam salários algumas vezes maior do que a média, seja atuando na iniciativa privada, como autônomo, consultor ou prestando um concurso público.

Em algumas regiões do país, especialmente naquelas em que existem grandes empresas desenvolvedoras de software, os analistas de sistemas são bastante disputados, o que costuma elevar bastante os ganhos e benefícios oferecidos.

Além disso, com o distanciamento social determinado recentemente, muitas empresas passaram a contratar trabalhadores em regiões distantes, inclusive em regiões com menos oportunidades. Ou seja, se você mora em uma localidade afastada, terá maior facilidade em conseguir uma colocação e uma boa formação, por conta das ferramentas de trabalho e estudo a distância.  

Para ter uma ideia mais acurada do mercado de trabalho, podemos avaliar dados de pesquisas e notícias recentes. Por exemplo, uma reportagem da Revista Exame confirma a possibilidade de contratação em regime de home office.

Segundo a matéria, de janeiro a agosto de 2021, o setor de tecnologia contratou 147.248 novos profissionais no Brasil. Um aumento de 149% em relação a 2020. Esses dados são de uma pesquisa da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom).

Já a Forbes menciona um déficit de mais de quatro milhões de profissionais em diversas áreas e em todo o mundo. Também utilizando dados da Brasscom, a publicação divulgou a projeção de criação de 800 mil novas vagas em até 4 anos. Contudo, a estimativa é de que mais da metade, cerca de 500 mil, continuarão vagos. O motivo? Falta de gente capacitada. 

Segundo outra reportagem do G1, que divulga as profissões em alta no setor de tecnologia, as exigências também tendem a aumentar, o que vai criar mais dificuldade para que as empresas encontrem pessoas realmente capacitadas. 

Por outro lado, isso gera um desafio, para quem quer se qualificar e aproveitar a oportunidade. Afinal, será preciso ter mais dedicação. Em outras palavras, as previsões são de melhora de condições de mercado e consequente aumento de exigência. 

Uma pesquisa realizada pelo Banco Nacional de Empregos (BNE) identificou as principais ocupações com oportunidades para o próximo ano. Vamos conferi-las? As que podem ser exercidas por um analista de sistemas são:

  • desenvolvedor: uma atividade tradicional para quem tem formação na área; 
  • analista de sistemas: com atribuições que demandam todo o conhecimento da área;
  • DevOps: uma modalidade de desenvolvimento de software que aproxima desenvolvedores e administradores do sistema;
  • analista de suporte: fundamental para o uso de sistemas complexos;
  • segurança da informação: com sistemas cada vez mais integrados é fundamental garantir a segurança;
  • analista de infraestrutura: que também faz parte da formação de um analista;
  • internet das coisas (IOT);
  • analista de testes: por melhor que seja a qualidade do desenvolvimento, os sistemas precisam passar por testes antes de serem utilizados;
  • desenvolvedor mobile: com demanda crescente, graças à grande expansão desses dispositivos;
  • administrador de banco de dados: existem analistas especialistas nessa área.

O que é preciso para trabalhar com análise de sistemas?

Um analista de sistemas precisa de conhecimentos sobre tecnologias e desenvolvimento de projetos de TI. Algumas habilidades e conhecimentos podem ser desenvolvidas antes mesmo do ingresso em um curso superior. Especialmente em linguagens de programação, ferramenta importante para esses profissionais, com vários cursos disponíveis.

Existem cursos relacionados, que podem ser agregados ao currículo e também permitem trabalhar na área, como o de Sistemas de Informação. Quem se forma com essa opção desenvolve as capacidades para adquirir uma visão abrangente sobre o modelo de negócio da organização em que atuar. 

Isso é importante porque o mercado e os consumidores dos mais diversos produtos exigem e esperam soluções para problemas que enfrentam diariamente. Esses recursos precisam ser cada vez melhores para conquistar novos clientes e é função de quem se forma em sistema de informação propor soluções para essas questões. 

Outra importante atribuição é a de desenvolver e gerenciar não apenas os sistemas, mas toda a infraestrutura necessária para manter e utilizar esses recursos. 

O curso de Ciência da Computação também habilita profissionais para trabalharem na mesma área, em atividades como: programador, desenvolvedor, arquiteto de software, analista ou gerente de TI. Essa é uma excelente opção para quem quer trabalhar com pesquisa, mas também permite operar no mercado privado ou público. Confira no infográfico abaixo as qualidades necessárias para ser um analista de sistemas!

Especificamente sobre o curso de analista de sistemas, você pode ter detalhes a mais no tópico seguinte. Vamos conferir?

Como funciona o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas?

Muito bem, você já sabe o que faz um analista de sistemas, tem uma boa ideia do mercado de trabalho dessa profissão e conhece algumas opções de cursos de formação. Agora, podemos falar especificamente da Formação em Análise de Sistemas. 

Como vários cursos de tecnologia, você vai encontrar opções diversas. Algumas delas podem ser mais interessantes que as outras, dependendo dos seus objetivos. Por isso, vamos nos basear na nossa versão EAD. Formato muito indicado para quem busca uma boa qualificação, que possa ser feita rapidamente e com foco nas necessidades do mercado, para facilitar o processo na busca do primeiro emprego.

Nesse caso, em 2 anos e meio você conclui sua formação e, antes disso, o ideal é que você já esteja no mercado de trabalho, o que é muito comum de ocorrer. Totalizando 2135 horas, o nosso curso EAD de Análise e Desenvolvimento de Sistemas tem 32 disciplinas. Algumas delas são:

  • Teoria de Sistemas de Informação;
  • Fundamentos para Computação;
  • Matemática;
  • Interface Humano Computador;
  • Lógica de Programação;
  • Comunicação;
  • Engenharia de Software;
  • Arquitetura e Organização de Computadores;
  • Sistemas Operacionais;
  • Processo de Negócios e Empreendedorismo;
  • Banco de Dados; 
  • Redes de Computadores;
  • Estatística Computacional;
  • Gestão de Projetos;
  • Arquitetura de Software;
  • Qualidade e Teste de Software;
  • Computação para Dispositivos Móveis.

Você também deverá desenvolver projetos na prática durante o curso e vai adquirir conhecimento nas áreas de humanas. A maioria das aulas são voltadas para exatas, como se pode notar na relação de disciplinas acima.

No entanto, é importante complementar essa formação em outras áreas e desenvolver habilidades socioemocionais, pois os sistemas são feitos e usados por pessoas. Por isso, é comum notar algumas poucas disciplinas da área de humanas nos bons cursos de tecnologia. 

Vale a pena ser um Analista de Sistemas?

Algumas atividades são tidas como profissões do futuro, pois são menos sujeitas às mudanças da chamada Nova Revolução Industrial. Embora muitos empregos corram o risco de deixarem de existir, outros surgirão e alguns permanecerão, pois são necessários na construção dessa nova realidade. 

É o caso da análise de sistemas, que é importante na estruturação das empresas, no desenvolvimento de sistemas, construção de redes, gestão de bancos de dados, elaboração de modelos de comunicação e integração entre computadores e assim por diante.

Mais do que sobreviver à transformação em curso, os analistas fazem parte dos profissionais que promovem, estruturam e viabilizam a digitalização. Por isso, há uma tendência de que o bom status dessa profissão fique ainda melhor, com razões importantes para escolher a área, descritas nos tópicos abaixo:

Mercado em crescimento

Faltam profissionais na área e a demanda nas empresas aumenta cada vez mais, devido a expansão da transformação digital e a necessidade de adoção de novas tecnologias. Algumas demandas são fundamentais para que as empresas digitalizem os seus processos internos, como:

  • sistemas com inteligência artificial;
  • aplicações com sensores capazes de monitorar equipamentos e operações (a chamada IoT, ou internet das coisas);
  • redes robustas e rápidas;
  • ampla integração entre sistemas.

Salário em alta

Vários fatores influenciam o salário, como a região de atuação e o resultado que cada profissional pode gerar. Os mais produtivos, tendem a ganhar mais. Dentre essas variáveis de influencia, está a quantidade disponível de formados na área.

No nosso modelo econômico, a regra da oferta e demanda é sempre influente no valor atribuído a um produto ou serviço, ou seja, serviços escassos são mais caros e os mais abundantes mais baratos.

Quando faltam profissionais e as empresas precisam muito deles, as ofertas de salário e de benefícios são compatíveis com essa necessidade.

Agilidade de formação

O curso de Analista de Sistemas tem curta duração. É verdade que essa é uma área na qual você sempre aprenderá e que exige esforço, o que é importante para conseguir colocações cada vez melhores, mas o curso de formação é rápido e prático.

Além disso, como já adiantamos, você poderá ingressar no mercado de trabalho antes mesmo de concluir sua graduação, especialmente se já tem um bom conhecimento em programação e conhece as linguagens mais usadas pelo mercado.

Agora que concluímos e você sabe responder em detalhes a pergunta: “analista de sistemas o que faz?”, queremos encerrar com um convite. É que o curso da Anhembi Morumbi de Análise e Desenvolvimento de Sistemas oferece toda estrutura multidisciplinar necessária na formação de líderes de mercado. Por isso, queremos convidar você para conhecer melhor a nossa opção.

Confira o curso EAD em Análise e Desenvolvimento de Sistemas!

Saiba por que você deve começar sua faculdade agora

Compartilhe!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Receba conteúdos exclusivos diretamente no seu e-mail!

Diga o que está em sua mente

Seu endereço de e-mail não será publicado.